Como é criar um filho bilíngüe


Me mudei para a Bélgica com o Liam quando ele tinha mais ou menos um ano e meio. Ele ainda não sabia falar.


Desde bebê tentava falar pequenas palavras em holandês com ele. Queria que ele pelo menos entendesse o lado belga da família.


Alguns podem pensar que, como era bebê, isso não ia influenciar muito. Mas acompanhe a história comigo.


Nos mudamos para a Bélgica onde o único contato que ele tinha em português era eu. E em casa só falava em inglês com o pai dele.


Percebi que isso estava dificultando um pouco para ele. Sim, ele entendia os três idiomas, mas não falava nenhum! Nisso ele já tinha pouco mais de dois anos.


Na época fui incentivada pela família a falar somente em holandês com ele, e quando ele estivesse mais velho a gente poderia intercalar o idioma. Estou feliz que não os escutei hahaha.


Seguindo o conselho da pediatra, continuei falando em português com ele e ensinando coisas do dia a dia. Ele falava comigo em holandês e eu respondia em português, e assim nos entendía-mos.


Toda essa experiência me ensinou coisas fascinantes sobre como o nosso cérebro funciona.

O Liam traduzia os idiomas para se comunicar, o que era engraçado visto que a ordem gramatical dos idiomas são ao contrário. Era muito fofo quando ele falava 'morango sorvete' ao invés de 'sorvete de morango' (hoje ele inverte a ordem para falar o holandês, o que não deixa de ser engraçado, mas menos fofo).


Mesmo que não moremos mais no exterior faço questão que ele aprenda mais idiomas. Isso não só dá a ele mais oportunidades de descobertas como retarda o envelhecimento cerebral. Ou seja, ele só tem a ganhar.


Ele fala fluente o português e também o inglês. Infelizmente o holandês tem ficado de lado pois o pai não se comunica com ele com muita frequência no idioma materno, o que acho uma pena. ( e agora vamos começar com o coreano)


Caso você queira introduzir mais um idioma na rotina do seu filho, aqui vão algumas dicas:

  • Comece com o que ele goste: se você já sabe o idioma, ensine o nome de objetos cotidianos e introduza isso na rotina da casa. Vai virar algo natural.

  • Outra coisa que pode ajudar é criar regras: quem e quando um idioma será falado no ambiente. Isso facilita para a criança a aplicar os idiomas e a não se confundir.

  • Se você não sabe falar um outro idioma, deixe que ele assista ao desenho favorito no idioma que quer que ele aprenda: com os canais de streaming hoje isso ficou mais fácil e até barato. No Netflix é normal encontrar francês, alemão, inglês e espanhol. No Disney plus a variedade é maior.

  • Veja isso como uma oportunidade de desenvolvimento: não só para seus baixinhos, mas também para você! Aprender um novo idioma juntos trará vários momentos bons, e muitas recordações. Sem contar que todo mundo sai ganhando.

Alguns aplicativos que indico para aprender idiomas são:

  • Duo Lingo;

  • Menrise;

  • Babbel;

  • Drops (uso esse para aprender coreano).

Aprender um idioma hoje está bem mais fácil do que quando eu aprendi. Tudo depende de dedicação. Mas vai por mim, é o tipo de conhecimento que só traz benefícios, pra você e pra toda a família, não importa a idade.


P.S.: Tenho uma página no Instagram onde dou dicas de inglês práticas para o dia a dia. Vai lá conferir!