Bélgica - minha segunda casa na Europa

Hoje vou contar um pouco sobre como é viver neste país tão pequeno, mas ao mesmo tempo tão grande em diversidade. Quer saber como é viver aqui? Vem que te conto.


Moro aqui a quase 10 anos. Neste meio tempo morei em várias cidades aqui, como Sint-Truiden, Velm, Hasselt, Dilsen - Stokkem, e agora vivo em Bruges. O que posso dizer? Minha família se muda bastante.


Cada cidade tem sua própria característica. Algumas não realmente cidades como estamos acostumados a ver no Brasil, outras têm plantações de frutas, enquanto outras, como Bruges, é bem histórica. E é sobre ela que vou falar hoje.



Rozenhoedkaai, Bruges

Bruges simplesmente roubou meu coração quando a conheci pela primeira vez. Com suas torres e praças que lembram os tempos medievais, você respira história a partir do momento que começa a desbravar suas ruas e becos.


Bruges era conhecida como "Veneza do Norte" por causa dos canais que a corta e que fazem ligação com Gante, outra cidade tão bonita quanto.


Ela é uma cidade principalmente turística, mas é um turismo que atrai todos os gostos.


Veja bem, aqui você encontra o Museu do chocolate, onde você pode conhecer um pouco da história da iguaria aqui na Europa e até mesmo provar seu mais variados trabalhos, como as pralinas ( eu já falei como os chocolates aqui são bons? Não posso entrar no Brasil sem umas caixas. Quem prova não consegue comer outro ;)). Também tem o museu das batatas fritas ( diz a lenda que as batatas fritas foram criadas durante a Segunda Guerra Mundial, quando os belgas que falavam francês fritaram algumas batatas para os soldados americanos. Como eles pensavam que estavam na França por causa do idioma, chamaram de 'french fries', ou fritas francesas ), museu da cerveja (tem vários aqui deste tipo ), de moda, arte contemporânea, e mais alguns.

No meio de tanto museu, vários cafés e restaurantes com comida típica e muita bebida. Também temos lojas para todos os tipos, e claro, as lojas de lembrancinhas.


Das cidades que eu vivi aqui esta é o que eu mais gosto. Agora que a primavera chegou tudo ganha mais vida, e tudo te motiva a fazer uma caminhada e aproveitar a paisagem.


Viver aqui é um pouco mais caro do que viver no centro do país, mas não é como a Suíça. Aqui há trabalho pra quem quer colocar a mão na massa. O idioma desta parte do país é o holandês, mas as pessoas também falam inglês.


Se é pra trabalhar ou passar as férias, a Bélgica com certeza tem várias opções. Quem sabe da próxima vez eu conto mais sobre as outras cidades que eu vivi? Vai ser como lembrar bons velhos tempos.