Algo que me contaram e eu nunca esqueci.

Desafio 30 dias escrevendo | segundo dia.

Na vida, sempre nos deparamos com conselhos válidos para algum momento em que estamos.


Talvez essa seja a parte legal dos conselhos, principalmente quando veem de alguém que apreciamos. Ele pode não ser útil naquela hora ou naquele lugar, mas ele pode mudar e muito a sua vida no futuro.


Para ser sincera, o post de hoje não se trata de algo que eu ouvi, mas sim que li. Não me considero uma leitora ávida, mas sempre que tenho um tempinho gosto de viajar nas páginas de um bom livro.


Dessa vez se trata de uma publicação que estava lendo quando procurava conselhos para meu casamento, ou como lidar com ele. Sim, houve momentos que eu realmente não sabia mais o que fazer, mas sempre dei meu melhor. Acredite ou não, hoje colho bons frutos destes esforços.


Voltando ao artigo que li, falava de uma mulher que começou a aprender sobre a bíblia, mas seu marido era muito ruim. Ruim do tipo de bater nela. Claro que ela pensava em desistir, e com razão. Até que ela leu uma passagem em 1 Coríntios capítulo 13 que falava sobre o amor.


À medida que ela lia esta passagem, ela começou a se perguntar se o marido dela a amava, pois ele definitivamente não fazia nada do que estava lá. Até que a pessoa que a ajudava perguntou-lhe: 'para quem você pensa que este texto foi escrito?' Na verdade, aquelas palavras eram para aqueles que queriam fazer o certo, não para as pessoas que não faziam.


Por que este artigo foi tão marcante para mim? Sabe, muitas vezes, quando lemos ou vemos algo, sempre pensamos em como seria lindo se fulano ou ciclano colocassem tal princípio em prática. Mas o que nos esquecemos muitas vezes é de dar o exemplo e praticar o princípio primeiro. “Bem que ele poderia me escutar mais”, “bem que ele poderia ser mais gentil”. Eu já falei isso. Mas não tenho certeza se fui sempre um exemplo em colocar em prática.


“Mas do que adianta se o seu casamento acabou?” Isso é uma boa pergunta. E tudo isso me trouxe outras lições para a vida.


A primeira é que eu não posso obrigar ninguém a mudar uma atitude se eles não querem; isso é para eles decidirem se vale a pena a mudança ou não. Da minha parte eu só devo esperar fazer sempre o meu melhor.


Segundo, quando eu me dou conta que preciso mudar em algo, estou um passo adiante em grandes mudanças na minha vida. Fiz e ainda realizo tais mudanças.


E terceiro, como eu disse, eu colho os frutos de tentar aplicar um conselho mesmo que o outro não queira. Consigo criar meu filho em paz e minha relação com meu ex é sustentável, porque ele acredita e confia em mim.


Como podem ver, este artigo trouxe muitos benefícios para mim, e sempre me lembro dele quando questiono o porquê de alguém não agir da maneira que eu gostaria. Eles aplicam o poder do livre arbítrio, e eu gosto desse poder também.


Bjus e até a próxima!

Posts recentes

Ver tudo

Desafio 30 dias escrevendo | dia 4 Todos temos algo ou alguém que nos inspire. A ser pessoas melhores, mais pacientes, mudar de vida... Penso que você entendeu o ponto. Como resumir em um post, ou mel